domingo, 26 de dezembro de 2010

(...)E, em vão lutando contra o metro adverso,
Só lhe saiu este pequeno verso: 
"Mudaria o Natal ou mudei eu?"


domingo, 12 de dezembro de 2010

Viva , Vida, Vida...

Difícil saber o que ela nos reserva. As vezes a pedra no caminho de Drummond , as vezes as flores da vida de um recomeço. Esse círculo não tem começo , meio e fim . É uma roda que gira e gira e volta sempre a girar. Bem vindo o tempo do recomeço. Vamos fazer a roda girar!

terça-feira, 7 de dezembro de 2010

Artistas usam o corpo como tela para recriar pinturas.

Os artistas nova-iorquinos Chadwick Gray e Laura Spector recriam pinturas clássicas usando o corpo humano como tela no projeto "Anatomia de Museu". Iniciado em 1995, o projeto reúne uma série de fotografias das reproduções, que são feitas por Spector no corpo de Gray.O artista performático, de 38 anos, tem que permanecer imóvel por até 15 horas para cada quadro pintado nele. No total, Gray já passou mais de 800 horas como plataforma para a pintura.A área em que o corpo de Chadwick Gray é pintado também depende de coincidências com a obra. Em alguns casos, a pose do artista reproduz a imagem, em outros, a pintura se concentra em uma parte do corpo que tem destaque no quadro original.Depois de reproduzidas no corpo de Gray, as pinturas são fotografadas por Laura Spector e impressas no tamanho do quadro original. O trabalho de Chadwick e Spector está em coleções privadas por todo o mundo.




Namastê!

sábado, 27 de novembro de 2010

Só porque é poesia e poesia alimenta a alma!

Ouvir Estrelas
"Ora (direis) ouvir estrelas! Certo 
Perdeste o senso!" E eu vos direi, no entanto, 
Que, para ouvi-las muita vez desperto 
E abro as janelas, pálido de espanto... 

E conversamos toda noite, enquanto 
A Via Láctea, como um pálio aberto, 
Cintila. E, ao vir o sol, saudoso e em pranto, 
Inda as procuro pelo céu deserto. 

Direis agora: "Tresloucado amigo! 
Que conversas com elas? Que sentido 
Tem o que dizes, quando não estão contigo?" 

E eu vos direi: "Amai para entendê-las! 
Pois só quem ama pode ter ouvido 
C
apaz de ouvir e de entender estrelas".

sexta-feira, 19 de novembro de 2010

100 anos de Raquel de Queiroz. 17/10/1910.

Primeira mulher a entrar na Academia Brasileira de Letras!


Em 1977, por 23 votos a 15, e um em branco, Rachel de Queiroz vence o jurista Francisco Cavalcanti Pontes de Miranda e torna-se a primeira mulher a ser eleita para a Academia Brasileira de Letras. A eleição acontece no dia 04 de agosto e a posse, em 04 de novembro. 


Bibliografia Principal:



Romances:
- O quinze (1930)
- João Miguel (1932)
- Caminho de pedras (1937)
- As três Marias (1939)
- Dôra, Doralina (1975)
- O galo de ouro (1985) - folhetim na revista " O Cruzeiro", (1950)
- Obra reunida (1989)
- Memorial de Maria Moura (1992).

domingo, 7 de novembro de 2010

Só para registrar.

BASTOS, Maria Bueno. Outras palavras, outras imagens: movimentos feministas na cidade de São Paulo nos anos 70/80. PUC/SP: 1992. Mestrado. Resumo: A pesquisa pretende entender os movimentos feministas que ocorreram na cidade de São Paulo durante os anos 70/80, deixando de lado abordagens teóricas que sempre simplificaram, recortaram e separaram o movimento feminista do movimento de mulheres. Os movimentos feministas contribuíram para que as mulheres fossem vistas como sujeitos da ação histórica e, para recuperar essa atuação, foram utilizadas também entrevistas com algumas feministas, no sentido de entender suas falas, imagens, sentimentos, visões.

Dia de sol de primavera!

sexta-feira, 5 de novembro de 2010

Castelos de Areia
Castelos de Pedra.
Um se desfaz com a água do mar.
O outro com o mar do tempo!

terça-feira, 2 de novembro de 2010

Saudade é um sentimento que quando não cabe no coração, escorre pelos olhos.

500 anos esta noite
De onde vem essa mulher
que bate à nossa porta 500 anos depois?
Reconheço esse rosto estampado
em pano e bandeiras e lhes digo:
vem da madrugada que acendemos
no coração da noite.

De onde vem essa mulher
que bate às portas do país dos patriarcas
em nome dos que estavam famintos
e agora têm pão e trabalho?
Reconheço esse rosto e lhes digo:
vem dos rios subterrâneos da esperança,
que fecundaram o trigo e fermentaram o pão.

De onde vem essa mulher
que apedrejam, mas não se detém,
protegida pelas mãos aflitas dos pobres
que invadiram os espaços de mando?
Reconheço esse rosto e lhes digo:
vem do lado esquerdo do peito.

Por minha boca de clamores e silêncios
ecoe a voz da geração insubmissa
para contar sob sol da praça
aos que nasceram e aos que nascerão
de onde vem essa mulher.
Que rosto tem, que sonhos traz?

Não me falte agora a palavra que retive
ou que iludiu a fúria dos carrascos
durante o tempo sombrio
que nos coube combater.
Filha do espanto e da indignação,
filha da liberdade e da coragem,
recortado o rosto e o riso como centelha:
metal e flor, madeira e memória.

No continente de esporas de prata
e rebenque,
o sonho dissolve a treva espessa,
recolhe os cambaus, a brutalidade, o pelourinho,
afasta a força que sufoca e silencia
séculos de alcova, estupro e tirania
e lança luz sobre o rosto dessa mulher
que bate às portas do nosso coração.

As mãos do metalúrgico,
as mãos da multidão inumerável
moldaram na doçura do barro
e no metal oculto dos sonhos
a vontade e a têmpera
para disputar o país.

Dilma se aparta da luz
que esculpiu seu rosto
ante os olhos da multidão
para disputar o país,
para governar o país.

Por Pedro Tierra

Brasília, 31 de outubro de 2010.
 

quinta-feira, 28 de outubro de 2010

"...Se na cabeça do homem tem um porão
onde mora o instinto e a repressão.
O que é que tem no sótão?..."


quinta-feira, 21 de outubro de 2010

O Olho Esquerdo de Hórus.

O Olho Esquerdo de Hórus representa a informação estética abstrata, controlada pelo hemisfério direito do cérebro. Lida com pensamentos e sentimentos e é responsável pela intuição. Ele aborda o universo de um modo feminino. Nós usamos o Olho Esquerdo, de orientação feminina, o lado direto do cérebro, para os sentimentos e a intuição.


quarta-feira, 6 de outubro de 2010

Conchas , Caracóis e Pessoas.

Sempre é interessante olhar a vida de outro ângulo e às vezes eu me surpreendo com os entendimentos que uma simples observação nos proporciona.
Hoje de manhã fui caminhar na beira do mar. Música saindo dos fones de ouvido, um sol meio fraco e um clima ameno. Na realidade o clima ainda não decidiu o que quer ser. Está indeciso entre o inverno que passou e a primavera que chegou. A água do mar estava uns dezessete graus. Fria para essa região quando no verão a água chega a 26 graus. Mas não tão fria como já esteve no alto inverno.
Descobri que caminhar na praia faz bem não só pra minha hipertensão, mas para uma reflexão. Como hoje ,quando depois de dias de chuva, o mar deixou na areia um rastro de conchas. Mesmo não sendo Pablo Neruda , que adorava e colecionava caracóis,  eu resolvi procurar um caracol para mim. Adoro caracóis. Por quê? Não sei bem. Talvez porque de dentro dele a gente ouve um som que se assemelha ao do mar. E eu amo o mar. Ou talvez porque me intriga o seu formato. Por isso sempre preferi caracóis às conchas comuns. Na realidade não gosto muito das coisas comuns. Exigente sempre preferi as especiais. Mas sei que essas são difíceis de achar e também nos enganam: parecem especiais, mas são comuns. E é claro que já me enganei algumas vezes.
Caminhava e pensava que seria bem difícil encontrar algum caracol agora. Já havia colhido alguns na minha vida e sabia que não era fácil de achar. Tinha, no entanto, um monte de outras conchas que eu podia pegar. Conchinhas pequenas ainda jovens, viçosas, branquinhas, mas sabia que elas eram muito frágeis bastava uma pessoa distraída pisar numa para elas se partirem em diversos pedaços. Tinha também umas conchas mais escuras, maiores, meio amarronzadas. Eram mais fortes, tinham seu charme, mas existiam tantas espalhadas ao longo da praia que elas se tornavam comuns. À medida que andava era invadida pela certeza de que só por muita sorte eu encontraria a minha concha especial, o meu caracol.
Mesmo sem esperanças ia caminhando , cantando , olhando a areia e o movimento do mar cuja maré estava subindo e que vira e mexe trazia e levava mais e mais conchinhas. Absorta na caminhada olhei distraída para perto do meu pé e vi surpresa um  grande caracol que me olhava lá de baixo como se estivesse me esperando .
Feliz com meu achado. Lavei a sua areia no mar e guardei a minha preciosidade dentro do bolso para não perder. Hoje eu tive sorte. Conchas especiais,  assim como pessoas especiais, não são fáceis de achar.






segunda-feira, 4 de outubro de 2010

domingo, 3 de outubro de 2010

Já saí nas ruas contra a ditadura . Já corri de milico. Hoje contente por viver numa democracia e exercer o meu direito de Voto. 
Quero uma mulher pra presidente do Brasil!

sexta-feira, 1 de outubro de 2010

OUTUBRO começa e a primavera segue em frente.

Era para ser o OITAVO mês, mas dois Imperadores Romanos resolveram criar um mês para se homenagear e deram seus nomes ao meses de Julho( Julio Cesar)  e Agosto ( Otávio Augusto) e agora Outubro virou o DÉCIMO.  O jeito é ele viver com o nome trocado e ser chamado de Oito sendo Dez . Ainda bem que os meses não são neuróticos. Ou será que são?
                                          Nada a fazer a não ser viver!

Para terminar essa mostra de pintura Hiper-realista . IMAN MALEKI



ROBERTO BERNARDI



Seguidores

Quem sou eu

Minha foto
Praia Grande , Big Beach. , SP, Brazil
Historiadora por profissão. Escritora por destino .Viajante no mundo por acaso. Fotógrafa amadora por paixão.